Os sistemas de informação automatizados são elementos vitais na maioria dos processos empresariais. Como esses recursos de TI são essenciais para o sucesso de uma organização, é fundamental que os serviços fornecidos por esses sistemas possam operar efetivamente sem interrupção excessiva

Um dos principais elementos para garantir a alta disponibilidade do sistema é o plano de contingência, o qual estabelece planos, procedimentos e medidas técnicas que permitem a rápida recuperação do sistema sempre que houver uma interrupção, seja por falhas na infraestrutura, seja por desastres mais profundos.

Entre as questões que justificam a importância do plano de contingência em TI, conforme veremos ao longo deste artigo, destaca-se a prevenção contra os prejuízos que uma paralisação pode gerar às finanças e à imagem da companhia.

Pensando em ajudar a sua empresa a contar com essa segurança, garantindo o pleno funcionamento de seus processos internos, abordaremos o assunto fornecendo mais detalhes e dicas de como criar um plano de contingência em TI na sua empresa. Confira!

A importância de ter um plano de contingência em TI

Para melhor compreendermos a importância do plano de contingência em TI, tomemos como exemplo a empresa XYZ, negócio de grande porte cujos processos e infraestrutura são formados por equipamentos de hardware e software, ou seja, há uma forte dependência de TI para que as demandas sejam atendidas e a empresa continue crescendo.

Sendo a tecnologia um item crucial para o seu sucesso, a XYZ não pode se dar ao luxo de subestimar os perigos inerentes à indisponibilidade do sistema (Availability Gap, do inglês), tampouco negligenciar o planejamento de medidas que mitiguem os desastres ou suas consequências.

Certo, mas quanto pode custar o prejuízo da indisponibilidade? Isso sempre dependerá de quão crucial é a Tecnologia da Informação para o negócio. Entretanto, de acordo com estudo divulgado pela Veeam, a perda em receita e produtividade ultrapassa, em média, $ 16 milhões por ano.

Diversos fatores contribuem para o tamanho do dano que a indisponibilidade pode causar, pois o problema está relacionado a exatamente tudo que envolve os processos que passam pela TI.

Supondo que um evento deixe a empresa XYZ inoperante por 6 horas. O tempo se refletirá no pagamento de honorários aos colaboradores que permanecerão parados ou deslocados das principais atribuições, no período em que a produção é interrompida e nas possíveis multas contratuais de prestação de serviço.

O que pode causar interrupções no sistema?

Há uma série de eventos que podem afetar a infraestrutura de TI da sua empresa, tanto relacionados a desastres naturais quanto acidentes, falhas lógicas e estruturais e causas humanas. Por exemplo:

  • falhas no equipamento;
  • roubo;
  • cibercrime;
  • impactos ambientais;
  • erro humano.

Cada uma dessas ameaças potenciais deve ser atenuada com um plano de contingência bem planejado, de modo que o departamento de TI saiba como agir perante tais situações.

Você já imaginou como seria ver sua empresa sofrer um ataque de ransomware e não ter uma ação planejada quanto a isso? Ou se, de repente, acontecesse uma pane geral nos equipamentos?

Não conte com a sorte

Identificar a quais riscos o departamento de TI de sua empresa pode estar sujeito e, em seguida, desenvolver um plano de ação para reduzir esses riscos é essencial.

Pense em como seu negócio funcionaria se ele perdesse apenas um de seus sistemas de TI. Multiplicando isso tudo, chegaremos a uma falha completa do sistema que exibirá, acima de tudo, o quão vulnerável e despreparada a empresa está.

Em outras palavras, ter um plano de contingência em TI é fundamental para fornecer a segurança que o negócio precisa para funcionar na mais plena integridade.

O estabelecimento de um plano de contingência em TI

A partir do instante em que os donos de empresas, bem como os tomadores de decisão, em geral, reconhecem a quantidade e diversidade de ameaças em potencial, eles devem ter ciência de que precisam estar prontos para agir numa situação real.

Para isso, entender as ameaças aos sistemas de TI em questão é o primeiro fundamento a ser compreendido. Tal conhecimento é imprescindível para a segunda fase da elaboração do plano de contingência em TI, que é, propriamente, desenvolver meios para mitigar essas ameaças.

A seguir, apresentaremos um breve passo a passo, contendo as principais etapas para a criação de um plano de contingência. Vamos às dicas?

1. Avalie a infraestrutura de TI de sua empresa

Execute uma análise minuciosa e bem detalhada de todos os ativos de TI da empresa, ou seja, identifique quais são os seus ativos de hardware, software e dados, crie um inventário no qual todas as informações relativas aos ativos estejam descritas e, por fim, promova o gerenciamento dos ativos.

Por que fazer isso? Além das vantagens relativas ao controle do patrimônio tecnológico da empresa, a gestão dos ativos de TI permitirá a identificação das ameaças e uma melhor elaboração das ações a serem tomadas em cada evento.

2. Classifique seus riscos

Pense nos riscos que seu departamento de TI enfrenta, pois eles serão determinantes e muito específicos para o seu negócio — por isso os planos de contingência em TI podem ser diferentes de uma empresa para outra.

Classifique esses riscos em sua ordem de probabilidade e nível de impacto sobre os processos internos, isto é, as chances de o problema acontecer e os danos que ele pode causar.

3. Elabore um plano de ação

Tome cada risco por sua vez e considere como ele pode ser reduzido ou até mesmo eliminado.

Por exemplo, como não ser afetado pela perda de dados? Executando o backup em tempo real, no caso de empresas que trabalham com alto volume de dados.

Ao encontrar a solução, elabore as estratégias com base no conhecimento de especialistas na área, assegurando que todos os eventos serão administrados por meio de ações confiáveis.

4. Escreva seu plano de contingência de TI

Uma vez que seu negócio entende os riscos de TI que enfrenta, escreva um documento de política de contingência, o qual deve incluir todas as etapas — explicadas com clareza — que serão seguidas mediante a ocorrência dos desastres identificados.

5. Teste seu plano de contingência

É fundamental que o plano de ação que sua empresa desenvolveu seja testado a partir de diversas situações e perspectivas, assegurando que os problemas sejam administrados independentemente da forma que ocorram.

Fora isso, os testes revelarão todos os pontos fracos e que necessitam de mais atenção, assim, o departamento de TI ficará fortalecido em todas as áreas.

Não deixe o plano de contingência para depois

O tamanho de sua empresa — e a extensão de sua infraestrutura de TI — pode significar que um plano de contingência pode ser tão simples quanto iniciar um regime de backup de dados mais robusto para um serviço confiável de armazenamento em nuvem.

Por outro lado, as PMEs, com servidores no local, por exemplo, precisarão pensar em uma série de possíveis problemas. Mas é crucial realizar essa análise. Um plano de contingência em TI bem concebido pode garantir que o seu negócio nunca sofra qualquer perda.

Agora que você conheceu a importância do plano de contingência em TI, que tal conhecer mais dicas para garantir uma boa gestão e controle de segurança de redes? Confira o nosso post!