Hoje todos os serviços encontram-se na Internet, surgindo facilidades de troca de informação entres as pessoas e empresas. Utilizar estes benefícios as organizações se fazem mais competitivas no mercado. No entanto, ao mesmo tempo em que ocorreu um enorme avanço na comunicação entre redes de computadores, a segurança destas redes passou a ser crítica. 

Se por um lado este compartilhamento permite aumentar o dinamismo das comunicações e a troca de informações, por outro, ele possibilita que pessoas não autorizadas obtenham acesso a dados sigilosos. Devido a esses e outros fatores, surge a preocupação com a proteção dada a essas informações que é o patrimônio não “palpável” das empresas. 

E quando se fala de segurança cibernética é impossível não falar de uma  Demilitarized Zone ou DMZ, em português zona desmilitarizada, também muito conhecida como rede de perímetro, é uma área física, ou em alguns casos lógica, que expõe serviços de uma organização a uma rede não confiável, a Internet.

Todos os dispositivos situados em uma DMZ, isto é, entre a rede confiável  e a rede não confiável, está na zona desmilitarizada.

Uma DMZ tem a função de manter todos os serviços que possuem acesso externo , como servidores HTTP, FTP, de correio eletrônico e etc. Junto em uma rede local.

E em caso de uma ataque cibernético limita o potenciais danos. Para atingir este objetivo os ativos presentes em uma DMZ não devem conter nenhuma forma de acesso à rede local.

A configuração de uma DMZ é realizada através do uso de equipamentos de firewall, o firewall vai realizar todo o controle de acesso entre a rede local, a internet e a DMZ. Os equipamentos na DMZ podem estar em um switch dedicado ou compartilhar um switch da rede, porém neste último caso devem ser configuradas redes virtuais distintas dentro do equipamento, também chamadas de VLANs.

O termo “zona desmilitarizada” possui uma origem militar, significando a área existente para separar dois territórios inimigos em uma região de conflito. Isto é utilizado, por exemplo, para separar as Coreias do Norte e do Sul. 

Gostou do conteúdo não esqueça de compartilhar com seus amigos, e se ficou com alguma dúvida deixe nos cometários.