Infraestrutura? Quem precisa disso. As organizações modernas estão reduzindo a prática de execução de software tradicional on-premise e infraestruturas relacionadas a favor de soluções de software como serviço (SaaS).O SaaS oferece opções atrativas e, muitas vezes, essenciais para reduzir o CapEx, as despesas operacionais elevadas e reduzir o tempo de implementação — convertendo tudo isso em agilidade empresarial.

Porém, o aumento da agilidade não está isento de riscos. Ansiosas para manter os projetos em movimento, muitas unidades de negócios internas comprarão novos aplicações SaaS sem a orientação ou a aprovação de equipes de TI ou de segurança adequadas. As organizações MultiSaaS são frequentemente usadas para gerenciar, proteger e relatar cada serviço SaaS separadamente, aumentando ainda mais os riscos com políticas de segurança inconsistentes.

Se sua empresa está implantando mais e mais aplicações SaaS, esteja atento a esses sete riscos de segurança principais para entender onde aplicar SaaS Security.

  1. O phishing ainda é uma ameaçaE-mails continuam sendo o vetor de ameaça mais comum, com mais de 90% dos ataques cibernéticos bem-sucedidos, a partir de um e-mail de phishing. Os cibercriminosos usam e-mails de phishing para ludibriar as vítimas e levá-las a payloads, usando anexos ou URLs mal-intencionados, credenciais de colheita por meio de páginas de login falsas ou fraudes por meio de representação. Além disso, o número de ataques de phishing modernos também está aumentando em termos de sofisticação e os ataques são altamente direcionados.O phishing evoluiu para ataques baseados na nuvem, à medida que as organizações continuam acelerando a adoção do e-mail por SaaS (por exemplo, Office 365 ou G Suite) e outras aplicações de produtividade. As aplicações na nuvem apresentam uma nova era para o phishing, pois os usuários precisam autenticar para acessar suas contas, e a autenticação é direcionada por meio de protocolos padrão do setor, como o OAuth.Por exemplo, os criminosos cibernéticos tinham como alvo o O365 com ataques de phishing altamente sofisticados — inclusive o baseStrikerZeroFont e PhishPoint — para contornar os controles de segurança da Microsoft. Muitos portais de e-mail protegidos, como o Mimecast, também não conseguiram impedir esses e-mails de phishing.Em outro caso, o Gmail do Google sofreu um ataque de phishing em massa em 2017 com um e-mail que parecia autêntico e que pedia permissão e abria acesso a suas contas e documentos de e-mail. O ataque explorou o protocolo de OAuth da Google.
  2. Invasões de conta abrem a portaAs invasões de contas (ATO) envolvem agentes de ameaça que comprometem as credenciais corporativas de um funcionário, lançando uma campanha de phishing de credencial contra uma organização ou comprando credenciais na Dark Web decorrentes de vazamentos de dados de terceiros. Em seguida, um agente de ameaça utiliza as credenciais roubadas para obter acesso adicional ou aumentar os privilégios. É possível que uma conta comprometida permaneça muito tempo sem serdescoberta por muito tempo —ou nunca seja encontrada.
  3. O roubo de dados ainda é rentável, independentemente de onde é armazenadoO risco de violação de dados é uma grande preocupação para as organizações que se deslocam para a nuvem. A confirmação da medida de uso das aplicações SaaS implica transferir e armazenar dados fora do centro de dados corporativos, onde o departamento de TI da organização não tem controle ou visibilidade, mas ainda é responsável pela segurança dos dados. Os dados armazenados em aplicações SaaS podem ser dados de clientes, informações financeiras, informações de identificação pessoal (PII) e propriedade intelectual (IP). Os cibercriminosos normalmente iniciam um ataque direcionado ou exploram práticas de segurança e vulnerabilidades de aplicações ineficazes para exfiltrar dados.
  4. Perda de controle pode resultar em acesso não autorizadoOutro risco de passar para a nuvem é que o departamento de TI não tem mais controle completo sobre qual usuário tem acesso a quais dados e o nível de acesso. Funcionários podem acidentalmente excluir dados resultando em perda de dados ou expor dados confidenciais a usuários não autorizados resultando em vazamento de dados.

>>LEIA MAIS! <<