Conheça os principais tipos de ataques de sequestro de dados!

Uma pesquisa mundial revelou que cerca de 85% das empresas sofreram com ataques cibernéticos em 2016. No Brasil, os ataques desse tipo aumentaram em mais de 270% em 2015, apontando para a necessidade de dar atenção a esse tema. Atualmente, o sequestro de dados tem aparecido como a forma preferencial dos invasores.

Graças a essa atuação, os arquivos ou sistemas ficam inacessíveis ou inutilizáveis até que um resgate seja pago. Quanto maior for a vulnerabilidade, maiores são as chances de a empresa ser a próxima a sofrer.

Como ter conhecimento sobre o tema é parte fundamental da segurança da informação, veja, a seguir, quais são os principais tipos de ataques. Confira:

1. Spywares

Os spywares são programas que atuam de maneira praticamente invisível nas máquinas. Eles têm como objetivo principal monitorar, secretamente, o comportamento do usuário no uso do dispositivo.

Essas informações são enviadas para servidores específicos, os quais são controlados por hackers. Assim, pessoas não autorizadas têm acesso a padrões de comportamento e utilização do computador.

Para uma empresa, isso é perigoso, porque significa que os indivíduos podem acessar arquivos e configurações específicas. Apesar de, inicialmente, não haver roubo de dados de maneira agressiva, é uma porta de entrada para a tomada de informações.

2. Keyloggers

Os keyloggers são spywares que merecem atenção especial, pois eles registram tudo o que é digitado no teclado. Isso significa que comandos específicos são transmitidos a invasores, bem como senhas e orientações diversas.

Isso faz com que toda a comunicação seja espionada, além de abrir uma imensa falha de segurança. Tendo todas as senhas importantes, os hackers podem acessar o sistema e infectar a rede sem nenhuma dificuldade.

É mais um ataque que funciona como uma porta de entrada para que o sequestro propriamente dito possa acontecer.

3. Vírus corrompedores de arquivos

Os vírus, por definição, alteram o funcionamento do sistema ou de parte dele. Porém, quando se fala em sequestro de dados, os corrompedores de arquivos são os mais utilizados.

Eles são capazes de gerar uma perda total das informações, impedindo o acesso e levando à dissipação completa. Os formulários sobre os clientes, por exemplo, podem ser completamente destruídos ou modificados — a ponto de não poderem ser utilizados.

A partir daí, os hackers oferecem a solução ou a cópia dos arquivos por meio de um pagamento, configurando o sequestro. Caso as condições não sejam cumpridas, é provável que os dados sejam definitivamente perdidos.

4. Ransomwares

Quando se fala nesse problema de segurança, os ransomwares são a possibilidade mais assustadora. Eles criam um complexo ataque, em que os invasores encriptam tanto os dados de um usuário quanto os da empresa.

Todas as informações de um ERP, por exemplo, podem ser encriptadas e transformadas em uma extensão inacessível. Para que os elementos possam ser novamente acessados, é necessário utilizar uma chave de descriptografia.

Ela é oferecida por quem invade, em troca de um pagamento em Bitcoins, que é o dinheiro virtual de difícil rastreamento. Se a transação monetária não for feita, o acesso aos elementos se torna impossível.

Proteger-se contra ataques desse tipo é fundamental para impedir que informações sensíveis caiam em mãos erradas. Além disso, o cuidado evita gastos e dores de cabeça, bem como a perda de produtividade e de confiança.

Ao conhecer esses tipos de sequestro de dados, fica mais fácil se proteger contra eles e garantir o bom funcionamento da empresa. Quer ficar sempre livre de ataques e ter outras noções sobre segurança on-line? Siga-nos no Facebook e no Twitter e não perca as atualizações!

  • 1
  • 2

RECEBA NOSSAS NOVIDADES