4 Dicas para não ser vítima de ransomware

Não dá para escapar das notícias a respeito de ransomware. Embora esses vírus não sejam novos, recentemente eles começaram a ter como alvo hospitais, serviços públicos e policiais, ganhando notoriedade na mídia.

Estamos acostumados a notícias de ataque em grandes empresas e órgãos governamentais, isso não significa que eles são os únicos que tem de se preocupar. Usuários individuais também estão em risco, temos o habito de armazenamos nossa vida digital inteira em nossos dispositivos e ficamos perdidos sem eles.

Então, o que alguém pode fazer para evitar fazer parte da porcentagem de vítimas e ter que pagar resgates para ter seus dados de volta?

1 – Faça backups e proteja seus dados

Vivemos em uma era digital na qual armazenamos virtualmente desde fotos de casamentos até vídeos dos primeiros passos de nossos filhos. Se algo der errado com seu dispositivo, você perderá suas preciosas lembranças.

 


 

É importante fazer backup não só na nuvem, mas em uma mídia física – HD externo, pendrive, entre outros – que seja, No caso de ransomwares, a manutenção offline é realmente importante. Se seu backup estiver conectado seja por um cabo USB ou por algo como o Dropbox, os vírus podem infectá-los e roubar alguma informação.

2 – Instale patches e atualize regularmente

Todos os dispositivos pedem solicitação para realizar atualizações constates em programas ou aplicativos? Se você é do tipo que protela a instalação de atualizações, está na hora de mudar seus hábitos.

Fora o fato de atualizar a interface do programa ou alguma funcionalidade importante, essas patches tendem a corrigir vulnerabilidades conhecidas. Por mais que pareça uma chateação instalar a última versão do Windows ou do Java, negligenciar pode resultar em uma brecha para hackers que procuram explorar esse tipo de vulnerabilidade.

3 – Tenha uma solução de segurança

Quando se fala em segurança você provavelmente se encaixa em uma das três opções.  (1) Você acredita que antivírus não fornecem qualquer utilidade; (2)Você acha que vírus são um problema exclusivo de PCs, e que nada no mundo atingirá seu precioso Mac;(3)Faz questão de ter soluções de segurança em todos os seus dispositivos.

Se você se encaixa em uma das duas primeiras situações, chegou a hora de repensar seu posicionamento. Quando um malware ou ransomware possui uma assinatura específica, soluções de endpoint podem impedir que você clique em links ou abra arquivos maliciosos.

Nossas pesquisas mostraram que não apenas Macs, mas também celulares, são suscetíveis a ransomwares. O risco ao redor de dispositivos móveis pode ser ainda maior dada a quantidade de informações pessoais, aplicativos financeiros e memórias digitais neles armazenados.

4 – O que posso fazer se um ransomware me pegar?

No geral, não sugiro que você pague o resgate. Existem diversas ferramentas por aí que podem ajudá-lo a desencriptar certas variantes de ransomware.  Você pode tentar usar algumas algumas ferramentas gratuitas para usuários vítimas das campanhas CoinVault e Bitcryptor, e até mesmo do recente CryptXXX.

E depois?

Quando a GReAT fez suas previsões para este ano no Securelist, Juan Andrés Guerrero-Saade disse o seguinte:“Espera-se que os ransomwares ganhem espaço não só na forma de banking Trojans, mas que eles também migrem para outras plataformas.

Tentativas pouco expressivas de se trazer esse malware para celulares e Linux já foram vistas, contudo a plataforma mais desejável deve ser o OS X. Nossa previsão é que não só cheguem aos Macs, mas cobrem preços especiais nesses casos.

A longo prazo, existe a possibilidade de alcançarem a Internet das coisas -o que levanta a pergunta, o quanto você estaria disposto a pagar para ter sua TV de volta? Sua geladeira? Seu carro? ”.

F5 Networks
tenable
isc2
security mentor
manageengine
kaspersky
sophos

Últimas Notícias do Blog